Receba Nossa Newsletter
de Conteúdos

Buscar

6 maneiras de superar a ansiedade (que só cresce) durante a pandemia

A economia entrou em caos, as vítimas de covid-19 começaram a sentir os impactos do vírus

Compartilhe este Post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A pandemia chegou este ano e causou um reboliço no mundo inteiro. A economia entrou em caos, as vítimas de covid-19 começaram a sentir os impactos do vírus, e quem conseguiu permanecer em quarentena começou a passar por algumas dificuldades. De acordo com a UOL o medo entra em destaque: “A bancária Laiza Tubini, 30, de São Bernardo do Campo (SP), estava há duas semanas isolada. “Mas decidi que precisava sair um pouco, pelo menos para ajudar a minha mãe a fazer as compras”. No supermercado, ela teve um início de ataque de pânico. “Quando cheguei, vi as pessoas de máscaras e comecei a ter uma dissociação, parecia que aquilo não era real”. Ela precisou parar para relembrar a situação que estava passando. “Relembrei toda a história da pandemia e de que aquilo iria passar”. Isso não evitou que os sintomas da crise aumentassem. “Tive tontura e sai um pouco do lugar para respirar. Agora está mais ‘normal’, mas ainda fico muito nervosa.” 

A saúde mental está em jogo diante todo este cenário de pandemia, e a ansiedade cresce justamente por conta da instabilidade em que nos encontramos. Você sabia que a busca pelo termo “ansiedade” aumentou no Google durante a pandemia?

 “Nosso comportamento online dá outros indícios de que a ansiedade é uma baita preocupação no momento. Em 2020, os brasileiros procuraram três vezes mais pelo tema na internet do que a média dos últimos 16 anos, informa o site de buscas Google. Em comparação ao semestre anterior, a pesquisa pela questão “como é ter ansiedade” teve uma alta superior a 5 0000% entre janeiro e julho.” afirma o site da Veja Saúde

Sendo assim, separamos neste post 6 maneiras de superar a ansiedade. Confira:

1- Entenda que você pode se sentir melhor

Geralmente, tudo começa com o pensamento e toma forma com o passar do tempo. Conforme vamos pensando, começamos a possuir emoções e sensações. O autor e doutor Augusto Cury aborda este tipo de assunto em vários livros de sua autoria (inclusive, de tempos em tempos ele realiza a semana voltada para a gestão da emoção, para ajudar as pessoas a combater a ansiedade, comandar pensamentos e lidar com perdas, traumas, etc). Então, você precisa entender que pode se sentir melhor!

De acordo com a Forbes: “Ansiedade não é uma doença, mas pode se transformar em um distúrbio psíquico quando traz prejuízo pessoal e profissional ao ansioso. A boa notícia é que ela é administrável.” Portanto, respire fundo. 

2- Cuide da sua alimentação

Com tudo isso acontecendo pode ser que a ansiedade se transforme em “fome emocional” e, consequentemente, afetar sua saúde. A nutricionista Isabela Correia Borges, contou ao G1 algumas dicas importantes à respeito deste assunto: Identifique o que está causando a fome emocional. A ansiedade – por não saber quando a pandemia vai passar – o medo de perder o emprego, a falta de dinheiro, problemas nos relacionamentos amorosos e familiares podem gerar essa fome…” 

Cuidar da sua alimentação irá te trazer mais bem-estar, se você unir aos exercícios! O que nos leva ao item 3…

3- Mexa seu corpo

Caso você tenha lido a matéria completa do G1, deve ter se deparado com a seguinte frase: Faça atividades que te dão prazer. Dançar, meditar, ler um livro, correr, andar no parque – atividades que te proporcionem um sentimento de satisfação”. Sabe por que realizar algum exercício pode ser uma boa alternativa para você? 

Bem, a Forbes afirma: Exercícios, por exemplo, são ótimos moduladores da ansiedade, ao liberarem endorfina, substância associada à sensação de bem-estar. Dá para exercitar-se em casa.” 

Portanto, não tenha medo! Você gosta de yoga? Este é um bom exercício para se fazer em casa. Que tal respirar fundo e fazer uma aula da Pri Leite? É bem tranquilo e se você não tiver um tapete de yoga, também está tudo bem, porque no canal dela existe até yoga que você pode fazer na cama! 

Assista ao vídeo:
https://bit.ly/31xySOS

4- Se conecte com você mesmo

Meditar é uma boa forma de se conectar e tranquilizar a mente. O professor da Faculdade de Medicina da USP, Arthur Guerra, afirma: Meditação é outra prática que ajuda tremendamente a aliviar a sensação de mal-estar causada pela ansiedade.” 

A VEJA trouxe psiquiatras que também afirmam o poder de parar e observar a si mesmo: “Vale também apostar em medidas que te tragam de volta para o presente e para a realidade, como as técnicas de respiração. Elas envolvem contar as inspirações e expirações e podem ser feitas com a ajuda de aplicativos. “Ao regular a respiração, baixamos os níveis de adrenalina e conseguimos sair da crise”, ensina Livia. Se possível, vá para um lugar tranquilo, onde você se sente seguro, e converse com alguém.”. Dessa maneira, já é possível sentir mais tranquilidade e bem estar. 

Além dessas técnicas, na reportagem foi dito que com o tempo, cada um vai encontrando suas formas de se acalmar. Seja tomando um banho quente, ou tomando um chá, realizando uma caminhada… você precisa se observar!

5- Descanse a sua mente 

Com tanta notícia vindo à tona, fica difícil não imaginar hipóteses e possibilidades que poderão acontecer. Mas se você não souber relaxar, os sintomas da ansiedade vão aumentar e em um determinado momento afetar até o seu sono. O site Saúde IG diz: Dormir bem é de extrema importância para manter-se ativo. “Uma boa noite de sono ajuda muito psicologicamente e fisicamente. Noites mal dormidas reduzem a produção de substâncias relacionadas ao bem-estar e aumentam a produção de hormônios relacionado ao estresse e à ansiedade “, explica Alexander.” 

6- Seja criativo e use a tecnologia ao seu favor 

Está tudo mais complicado, sim. Mas ser criativo pode ser uma boa saída para não cair no tédio durante a pandemia. Que tal aprender uma receita nova? Ou ver uma série engraçada? Aprender um idioma super diferente? Ler um livro de algum gênero que você nunca viu? Comprar uma plantinha pequena para por em algum cantinho da sua casa que está vazio? E aprender violão? 

Há tanto a se fazer! Pense nas possibilidades. Com a tecnologia em mãos, você pode até marcar uma reunião em família por vídeo chamada e colocar o papo em dia. Isso tudo afeta até sua saúde em relação à pele. De acordo com o G1, ao se envolver em muito estresse, você pode sofrer com queda de cabelo e quadros inflamatórios de pele: “Segundo a dermatologista Eloisa Zampieri, a falta de saúde emocional pode levar ao surgimento de doenças de pele, como alergias, dermatite, acnes e queda de cabelos.”

Dessa maneira, é essencial que você saiba agarrar este item número 6 e realmente se divertir! Em determinado momento da matéria, a médica ainda afirmou: “Atividades físicas podem auxiliar a diminuir o estresse e a ansiedade na pandemia. As pessoas podem descansar nos finais de semana, ter um tempo com a família e amigos, ter uma boa noite de sono e cuidar da saúde mental”, explica a dermatologista”.

Enfim, tenha paciência com você mesmo e, se sentir que os sintomas de ansiedade ainda são recorrentes e intensos, não exite em procurar um psicólogo ou psiquiatra. Hoje há a possibilidade de fazer consultas online… não queira cuidar de tudo isso sozinho. Procurar ajuda também é importante! 

Increva-se em nossa Newsletter

Receba nossas noticias preenchendo o formulário abaixo

Posts Relacionados

Inscreva-se em nossa newsletter

E receba por e-mail novos conteúdos sobre Marketing Digital, Tecnologia, Empreendedorismo e muito mais